V, Wiki

Para que serve a vitamina B12? Benefícios e propriedades | NutriTienda

sexta, 1 de janeiro de 2010

A vitamina B12 é uma das vitaminas mais complexas do organismo. Contém na sua estrutura cobalto pelo que os diferentes compostos com atividade B12 recebem o nome de cobalamina.

A cobalamina apresenta diferentes formas, a forma mais estável é a cianocobalamina, que contém um grupo cianuro que está muito por debaixo dos níveis tóxicos. As formas ativas no corpo humano são a metilcobalamina e a 5-desoxiadenosilcobalamina. Outra forma desta vitamina é a hidroxicobalamina.

A sua função é atuar como coenzima de enzimas implicadas no metabolismo energético das proteínas e das gorduras, assim como na síntese da metionina a partir da homocisteína. Níveis elevados de homocisteína estão relacionados com maior risco cardiovascular. A quantidade de homocisteína no sangue é regulada por diferentes vitaminas: folato, vitamina B12, e vitamina B6.

A metionina por sua vez, resulta indispensável para a formação de SAMe, molécula importante no metabolismo e que parece ser muito importante para a prevenção de doenças como o cancro, já que intervém nos processos de proteção do ADN. A vitamina B12 também intervém na síntese de hemoglobina e por tanto na formação de glóbulos vermelhos.

Além disso, a vitamina B12 nutre a cobertura exterior dos nervos e protege as células do sistema nervoso. Influi na capacidade visual, auditiva, psicológica e motriz. A vitamina B6 também é necessária para o ótimo funcionamento do cérebro, médula óssea, fígado, rins e, mantém as mucosas e a pele em ótimas condições.

A vitamina B12 intervém na formação da acetilcolina e serotonina, assim a vitamina B12 está implicada em funções cognitivas como a memória e a aprendizagem.

A absorção da vitamina B12 necessita do ótimo funcionamento do sistema digestivo. O ácido e as enzimas dos sucos gástricos liberam a vitamina que posteriormente se unirá a outra proteína presente nas secreções gástricas chamadas fator intrínseco. Esta proteína facilita a absorção da vitamina B12 no intestino delgado sempre que haja a presença suficiente de cálcio (liberado nas secreções pancreáticas).

Sem o fator intrínseco, apenas uma pequeno percentagem da vitamina B12 é absorvida (1%). Uma vez absorvida, quantidades relativamente grandes da vitamina B12 podem ser armazenadas no fígado.

As deficiências graves de vitamina B12 são pouco frequentes nos indivíduos saudáveis e que levam uma dieta equilibrada. As causas mais comuns de deficiência de vitamina B12 são a anemia perniciosa, a má absorção ou a sua deficiência em dietas pobres ou veganas.

A anemia perniciosa é uma doença autoimune onde se destroem células do estômago por um funcionamento anormal do sistema imunológico. Esta destruição diminui a secreção de ácidos e enzimas no suco gástrico e dificulta a união da vitamina B12 ao fator intrínseco. Esta má absorção acaba por provocar anemia.

Outras formas de má-absorção podem ser por gastrite, inflamação crónica do estômago, insuficiência pancreática, uso de antiácidos, gastrectomías ou cirurgias que afetam ao sistema digestivo.

As formas de cobalamina empregadas na maioria dos suplementos dietéticos são a cianocobalamina e a metilcobalamina. A biodisponibilidade desta vitamina nos complementos costuma ser maior que nos alimentos ao não estar unida à proteína e as pessoas com dificuldades para absorver a vitamina B12, beneficiam-se deste tipo de suplementos.

A vitamina B12 só se encontra em alimentos de origem animal, por isso as pessoas vegetarianas têm maior possibilidade de deficiência. A idade é outra situação de risco, com a idade se reduz a absorção de vitamina B12 e costuma acompanhar-se de dietas não suficientemente nutritivas ou escassas. Nestes casos também é especialmente importante um consumo extra de vitamina B12.

A deficiência de vitamina B12 implica menor atividade das suas funções, e com o tempo acabam aparecendo alterações como níveis elevados de homocisteína e menor atividade de folatos no organismo. A atividade reduzida da vitamina B9 ou ácido fólico tem como consequência o deterioramento da síntese de ADN e divisão celular e causa a denominada anemia megaloblástica, que apresenta glóbulos vermelhos imaturos e com escassa quantidade de hemoglobina no seu interior.

Esta anemia pode ocorrer por carências tanto de vitamina B9 como de B12. Deve-se ter precaução para que a suplementação com folatos não dê lugar à uma deficiência real de B12, já que os síntomas da anemia se resolveriam mas não outras consequências da deficiência de B12.

Outros sintomas da deficiência de vitamina B12 podem incluir diminuição dos níveis de energia, tendência a cansar-se facilmente, palidez da pele e dificuldade para respirar.

A deficiência de vitamina B12 danifica as células nervosas e gera deterioro neurológico que pode incluir formigueiro e entorpecimento nas mãos e nos pés. A degradação das células nervosas também pode carrear deterioramento cognitivo com irritabilidade, mau humor, depressão, falta de concentração e falhas da memória. Outros sintomas podem ser perda de apetite, prisão de ventre e inflamação de estômago.

As concentrações mais significativas de vitamina B12 encontram-se em produtos como o fígado, o cérebro e os rins. Também são boas fontes outros produtos de origem animal como a gema de ovo e os produtos lácteos. Assim como peixe, marisco e carnes.

A levedura de cerveja natural não é uma boa fonte de vitamina B12, no entanto, comercializam-se alguns tipos de levedura cultivadas em meios ricos em vitamina B12 para que a levedura contenha um teor adequado desta vitamina.

A vitamina B12 na sua forma injetável, foi antigamente muito prescrita para as pessoas com síndrome de fatiga, não obstante os estudos demonstraram que as injeções são menos eficazes do que a suplementação oral, e são sem dúvida menos agradáveis de modos que hoje em dia são raramente utilizadas.

Aplicações

O consumo de vitamina B12 em forma de suplemento tem como objetivo satisfazer as necessidades de vitamina B12 e reduzir os problemas relacionados com a sua carência como a fatiga, debilidade, mau humor e anemia perniciosa.

Além disso, emprega-se como complemento para o tratamento da obesidade, da síndrome da fatiga crónica, neurite, menopausa, síndrome pré-menstrual, doenças cardiovasculares e osteoporose.

A vitamina B12 é importante no mundo desportivo devido à sua suposta capacidade para aumentar a energia. As deficiências graves não são comuns. Embora existam produtos que forneçam vitamina B6 de forma isolada, pode-se consumir como parte de complexos multivitamínicos.

Está demonstrado que o seu consumo produz melhorias no rendimento desportivo em desportistas de tiro juntamente com piridoxina (vitamina B6) e tiamina (B1), pensa-se também que isto deve-se ao aumento na síntese de serotonina que é capaz de reduzir a ansiedade.

Dosagem

A ingestão recomendada na união europeia é de 2,5 µg. Recomenda-se a ingestão de vitaminas do complexo B junto com alimentos.

Precauções

Não ha registos de toxicidade por vitamina B12. Geralmente é bem tolerada, inclusive em doses altas tanto em alimentos como em forma de suplementos dietéticos.

Sugerimos também