S, Wiki

Para que serve condroitina? Benefícios e propriedades | NutriTienda

sexta, 1 de janeiro de 2010

A condroitina é um glucosaminoglicano de alto peso molecular presente na cartilagem e no tecido conjuntivo e a sua presença é necessária para manter a estrutura e função das articulações.

Os glucosaminoglicanos (também denominados glicosaminoglicanos ou GAGs) são um tipo de polissacarídeos formados pela sucessão de um só dissacarídeo, formado por uma molécula de D-gluguronato/L-iduronato/D-galactose unidos à um aminoaçúcar (N-acetilglucosamina ou N-acetilgalactosamina). 

O grupo dos sulfatos de condroitina, estão compostos pela união de resíduos de ácido D-glucurónico e N-acetilgalactosamina sulfatada de forma alternativa. Os sulfatos de condroitina mais comuns no tecido conjuntivo são o tipo A e C, o que significa que têm sulfatada a molécula de N-acetilgalactosamina no seu carbono 4 ou 6 respetivamente.

Estrutura da cartilagem articular.

A cartilagem articular é uma mistura de condrocitos e uma matriz extracelular produzida pelos mesmos condrocitos. Os condrocitos regulam também a atividade metabólica da cartilagem. Infelizmente a capacidade de divisão e a atividade dos condrocitos diminuem com a idade.

Os componentes mais importantes da matriz extracelular da cartilagem são as fibras de colágeno e os denominados proteoglicanos. Os proteoglicanos preenchem os espaços entre as fibras de colágeno e graças à sua capacidade de absorver água, aumentam a resistência ao stress físico da cartilagem (capacidade de compressão, capacidade de carga da cartilagem e flexibilidade). Os proteoglicanos são moléculas de grande tamanho formadas por uma proteína central à que estão unidos os glucosaminoglicanos como a condroitina. Por esta razão, os sulfatos de condroitina são necessários para a formação da matriz extracelular da cartilagem. A condroitina é um composto solúvel em água e forma um fluído viscoso que contribui para as qualidades mecânicas e elásticas da cartilagem.

Os glicosaminoglicanos como o ácido hialurónico, a condroitina ou o queratán sulfato também fazem parte da pele e dos tecidos conjuntivos como os tendões.

Absorção e tipos de condroitina.

A taxa de absorção do sulfato de condroitina polimerizado não é muito alta, mas no intestino é degradado pelas enzimas da flora intestinal; agindo por uma parte como pré-biótico e libertando também os seus componentes em forma de mono e dissacarídeos, que servem por sua vez como precursores dos proteoglicanos. Os diferentes tipos de condroitina podem afetar à sua taxa de absorção, por exemplo a condroitina de origem bovina absorve-se mais rapidamente do que a procedente da cartilagem de tubarão ao ter pesos moleculares diferentes.

Benefícios da sua contribuição

A suplementação com sulfato de condroitina aumenta a concentração de glicosaminoglicanos no líquido sinovial, aumentando assim a sua viscosidade. O aumento da concentração de condroitina sulfato também parece aumentar a síntese de ácido hialurónico e proteoglicanos. Além disso, a condroitina sulfato tem também poder anti-inflamatório e reduz a atividade das enzimas que destroem os glicosaminoglicanos e protege os condrocitos.

Osteoartrite.

A osteoartrite é a alteração articular mais comum entre as pessoas de idade média e avançada. Estima-se que um terço da população maior de 45 anos sofre algum sintoma relacionado com a osteoartrite. Esta afeção caracteriza-se por alterações na cartilagem articular, alterações ósseas e desequilíbrios nos processos inflamatórios que promovem a destruição dos proteoglicanos e do colágeno, assim como a redução da sua síntese.

A perda de proteoglicanos que tem lugar em doenças articulares degenerativas produzem alterações nas funções articulares, rigidez articular e dor. A suplementação com sulfato de condroitina resulta eficaz para o alívio da sintomatologia da osteoartrite, reduzindo a dor, melhorando a mobilidade e diminuindo a necessidade ou a quantidade de medicamentos. Além de atuar contra os sintomas, o consumo de sulfato de condroitina também mostrou ser eficaz na prevenção da degradação da cartilagem.

O sulfato de condroitina está recomendado pela European League Agains Rheumatism para casos de osteoartrite de mãos e joelhos e também existem estudos que apoiam o seu emprego em osteoartrite de quadril.

Proteção articular para atletas.

A suplementação com glucosamina e condroitina pode atenuar a degeneração da cartilagem e reduzir a dor articular em pessoas ativas, sendo uma ferramenta útil como proteção articular para os desportistas, atrasando ou evitando lesões articulares.

Outras aplicações.

O consumo oral de condroitina sulfato poderia ser útil em processos inflamatórios ou autoimunes como a psoríase ou a aterosclerose. Existe a hipótese de que uma parte do seu efeito sobre a osteoartrose possa ser devido à sua capacidade anti-inflamatória (redução de citoquinas pró-inflamatórias). Também pode ser útil na prevenção contra a degeneração dos discos intervertebrais, especialmente as prematuras.

Dosagem

A dose recomendada de sulfato de condrotina é de 800-1.200 mg/dia de preferência depois das refeições. Para consumos durante períodos prolongados recomenda-se normalmente 800 mg/dia.

Os primeiros efeitos começam a ser notáveis após 2-3 semanas e perduram durante 2-3 meses após o fim do ciclo. Recomendar-se realizar dois ciclos de 3 meses consecutivos por ano.

O uso combinado de condroitina e glucosamina parece oferecer efeitos sinérgicos sob a manutenção e recuperação da cartilagem, aliviando a dor e freando a progressão da degeneração articular. Também pode ser aconselhável combinar com ascorbato de manganês.

Sugerimos também