S, Wiki

Para que serve o sódio? Benefícios e propriedades | NutriTienda

sexta, 1 de janeiro de 2010

O sódio tem sido empregado na alimentação em forma de cloreto de sódio, o que comummente conhecemos por sal de mesa. O sódio é considerado um eletrólito, já que participa no equilíbrio hídrico do corpo, retendo água nos diferentes compartimento do mesmo, geralmente no entorno extracelular. Do mesmo modo, também está envolvido na produção de impulsos nervosos, necessários para a contração dos músculos. Para a sua excreção, elimina-se também água através da urina.

É um mineral necessário mas o seu consumo deve ser realizado com moderação, de forma adequada e em equilíbrio com os demais eletrólitos. A alimentação atual tende a proporcionar sódio em excesso e tem provocado certos efeitos negativos à saúde.

Normalmente as dietas subministram sódio mais que suficiente e as deficiências deste têm sido pouco comum, no entanto, existem circunstâncias que podem aumentar a sua excreção como por exemplo o suor excessivo, vómitos, diarreia, assim como o uso de diuréticos, aumentando assim as necessidades deste mineral. As referidas circunstâncias, por outro lado, podem causar um estado de desidratação, que, por sua vez, podem provocar cãibras musculares, confusão mental, tonturas, náuseas, vómitos, debilidade muscular e pressão arterial baixa.

Perdas de sódio durante a atividade física.

Durante a atividade física perde-se líquidos através do suor. A composição deste suor varia em função do grau de adaptação do desportista ao treino e ao clima. De modos que, quanto maior for a adaptação, menor serão as perdas eletrolíticas.

A reposição destes eletrólitos perdidos durante a atividade física é muito importante, especialmente nos eventos desportivos prolongados que provocam um suor excessivo. Se bebemos apenas água, sem recuperar os eletrólitos e o sódio perdido, corremos o risco de sofrer hiponatremia, já que além de não se repor o sódio perdido, reduzimos ainda mais o teor de sódio restante no corpo. As consequências de uma má reidratação podem chegar a ser graves e causar confusão mental, falta de capacidade cognitiva, convulsões e inclusive em casos extremos, a morte.

  • Considera-se hiponatremia quando a concentração de sódio no plasma é inferior a 135 meq/L, sendo as causas principais grandes perdas de sódio devido ao uso de diuréticos, perda através da urina (doenças renais que aumentam a perda de sódio pela urina), aumento da água a nível extracelular. Entre os sintomas mais comuns podemos enumerar: náuseas, vómitos, cãibras musculares, alterações visuais, cefaleia, letargia, chegando até às convulsões e coma. Considera-se que uma redução da concentração de sódio abaixo dos 125 meq/L é potencialmente fatal para o organismo.
  • Denomina-se hipernatremia quando a concentração de sódio no plasma é acima de 145 meq/L. É principalmente causada por uma ação insuficiente da hormona vasopresina ou ADH, perdas excessivas de água e equilíbrio positivo de sal. O quadro clínico cursa com sede, acompanhado de poliúria, diarreia e sudação. A presença de transtornos neurológicos, aparece com valores acima dos 160 meq/L caracterizado por irritabilidade muscular, alterações dos níveis de consciência, coma e inclusive convulsões.

Onde o encontrar?

O sódio está presente de forma natural e em quantidades saudáveis nos alimentos como pescada e mariscos, carne e aves de curral, algas marinhas, beterraba, aipo e cenouras. No entanto, este mineral tem sido encontrado em quantidades elevadas em alguns alimentos, principalmente nos alimentos processados (especialmente salmoura, picles e produtos cárneos curados), assim como nas bebidas de hidratação. A fonte mais habitual de sódio é o sal comum. O sal utiliza-se habitualmente na transformação e preparação de alimentos, como conservante e para melhorar o sabor dos alimentos. Portanto, a maior concentração de sal está presente nos alimentos processados ?e nos que se consomem em estabelecimentos como restaurantes, pastelarias etc.

Benefícios da sua contribuição

Atividade física:

O consumo de suplementos de nutrição desportiva que contêm sódio visa manter ou restabelecer o estado eletrolítico do corpo. Um nível adequado de sódio no organismo permite melhores contrações musculares e melhora o fluxo de água através das membranas celulares.

A entrega adequada de sódio previne a desidratação, cãibras musculares e intermação graças à reposição de eletrólitos essenciais que se podem perder durante os treinos intensos ou em climas quentes.

O consumo de bebidas que contêm sódio promove a absorção de água e carboidratos no intestino delgado, além de fomentar também a absorção de magnésio.

A ingestão de sódio ajuda a reter a água que se bebe durante e depois da atividade física. Como referimos acima, se ingerimos apenas água, produz-se uma diluição de sódio no sangue que, por sua vez, provoca sensação de sede e estimula a eliminação de água, já que os rins interpretam a diminuição da concentração como se de um excesso de água se tratasse, ao invés de uma carência de sódio.

Além disso, o sódio pode ser útil no tratamento da intermação e da desidratação.

Aplicações

A Organização Mundial da Saúde recomenda um consumo de sódio mínimo de 500 mg ao dia e máximo de 2000 mg ao dia. O sal de mesa, contém 40% de sódio e deve-se tratar de não superar as 5g de sal ao dia, o que vem a ser os 2000 mg de sódio.

A dose recomendada pela CE, a efeitos de rotulagem dos alimentos é de 0.6 g /dia, sendo a sua recomendação atual a de não ultrapassar os 6 g ao dia de cloreto de sódio ou seus equivalentes: 2,4 g/dia de sódio.

Para promover a hidratação, recorrem-se a bebidas com concentrações de 460-1150 mg/L de sódio durante e depois da atividade desportiva. Em algumas ocasiões os atletas de resistência e ultra-resistência, dão início as suas atividades físicas com uma carga prévia de sais minerais dois ou três dias antes do evento desportivo, ou consomem sódio durante e depois da atividade física para favorecer a reidratação.

O potássio e o sódio agem sinergicamente para regular os níveis hídricos do corpo. A proporção ideal é de 2:1 (potássio:sódio).

Precauções

O sódio consumido em quantidades habituais considera-se seguro. Um adulto saudável deve limitar a sua ingestão de sódio a 2000 mg por dia, já um adulto que sofre de hipertensão arterial não deve superar os 1500 mg ao dia. As pessoas que padecem de insuficiência cardíaca congestiva, cirrose hepática ou nefropatia, necessitam quantidades muito menores.

Mesmo que o sódio seja necessário para manter o volume normal de sangre no corpo, o seu excesso aumenta o volume deste, o que contribui ao aumento da pressão arterial. Esta circunstância pode ser benéfica ou prejudicial em função da situação da pessoa, em estados de desidratação é vantajoso, enquanto para uma pessoa com hipertensão arterial o seu consumo deve ser controlado.

O consumo excessivo de sódio de forma habitual está relacionado com um maior risco de doenças cardiovasculares, osteoporose, afeções hepáticas ou doenças renais. Chegou-se a observar também que pode agravar os sintomas da asma e da síndrome pré-menstrual como a retenção de líquidos.

Sugerimos também