S, Wiki

Para que serve Serina? Benefícios e propriedades | NutriTienda

sexta, 1 de janeiro de 2010

A serina é um dos vinte aminoácidos que formam parte das proteínas. É um aminoácido não essencial que forma parte do centro ativo de muitas enzimas. A serina é precursora de outros aminoácidos como a glicina, cisteína e fosfolípidos como a fosfatidilserina. Está presente nas vagens de mielina que cobrem os nervos situados no cérebro, sem serina suficiente estas vagens perdem densidade ou desaparecem, provocando incapacidade aos nervos de transmitir os impulsos nervosos a outras partes do corpo.

A serina também ajuda à produção de anticorpos e imunoglobulina, moléculas essenciais para manter um sistema imunológico saudável. Embora em pequenas quantidades, para sintetizar o triptófano requer-se serina junto com vitaminas como o ácido fólico, vitamina B3 e vitamina B6. O triptófano é por sua vez precursor da serotonina, que regula o estado de humor e de ânimo.

A serina realiza outras funções relacionadas com a conservação da hidratação da pele, síntese de compostos como a porfirina, creatina e purinas. A serina é necessária para o metabolismo das gorduras, correto funcionamento da replicação celular, desenvolvimento muscular e é essencial para o correto funcionamento do sistema imune.

A serina é um aminoácido gliconeogénico, ou seja, tem a capacidade de formar glicose no fígado para evitar a hipoglicemia.

A fosfatidilserina é um derivado da serina que intervém na função e manutenção das neuronas. O seu consumo apresenta efeitos saudáveis sobre a memória e a função cognitiva. A fosfatidilserina mostrou ser capaz de acelerar a recuperação, reduzir a dor, a degradação muscular e atenuar o stress fisiológico e mental, reduzindo assim os níveis de cortisol produzidos durante o exercício físico, quer em desportistas de força quer em de fundo.

Níveis baixos de serina produzem manifestações físicas e neurológicas como hipertonia, atraso psicomotor, microcefalia ou transtornos do sistema nervoso como epilepsia.

Alguns dos alimentos ricos em serina são:

  • Origem animal: carnes, pescada, laticínios, ovos.
  • Origem vegetal: legumes, sementes, vegetais e cereais integrais.

Aplicações

O consumo de serina visa satisfazer as suas necessidades e a garantir o desempenho das suas funções como a conservação da saúde da pele, do sistema imunológico e do sistema nervoso central.

A serina é um elemento envolvido na síntese proteica para o desenvolvimento e a recuperação muscular. Além disso, devido à sua capacidade de se converter em glicose, serve como fonte de energia em situações de jejum ou défice de energia.

Precauções

O consumo de serina é geralmente seguro. No entanto, as pessoas com afeções hepáticas ou renais não devem ingerir grandes quantidades de aminoácidos sem a supervisão de um profissional de saúde. Um consumo excessivo de serina pode causar efeitos adversos como um desequilíbrio nos demais aminoácidos.

Sugerimos também