P, Wiki

Qual é a proteína do ovo? Benefícios e propriedades | NutriTienda

sexta, 1 de janeiro de 2010

A proteína de ovo tem um grande perfil de aminoácidos, um valor biológico próximo ao 100% e o coeficiente de utilização líquido mais alto de todas as proteínas de origem natural. Devido à estas características e à sua alta digestibilidade (próxima ao 95%), durante muito tempo tem sido utilizada como padrão de comparação de qualidade para outras proteínas.  

A proteína mais abundante no ovo é a ovoalbumina (à que são atribuídas também qualidades antimicrobianas, antioxidantes e desintoxicantes), seguida de outras proteínas como a conoalbumina, ovomucina e a ovomucoide. A parte do ovo mais rica em proteínas é a clara e apenas uma pequena percentagem se obtém da gema.

A base de construção de todas as proteínas no organismo são os aminoácidos e a proteína de ovo fornece todos os aminoácidos essenciais necessários para a sua síntese (Arginina, isoleucina, histidina, leucina, metionina, lisina, fenilalanina, triptófano, treonina e valina), destaca uma quantidade de aminoácidos ramificados (BCAA) muito boa e entre elas a sua boa quantidade de leucina, que tem a capacidade de estimular a síntese proteica e favorece a captação de nutrientes das células, com o qual a sua suplementação tem efeitos importantes no desenvolvimento e manutenção muscular.

No entanto, por exemplo, 15 gramas de proteína de ovo proporcionam 1341 mg de leucina, 837 mg de isoleucina e 1096 mg de valina. Além disso, estas proteínas podem ser utilizadas como fonte de energia, na produção de hormonas e de enzimas.

Para determinar a qualidade nutritiva das proteínas utilizou-se como padrão durante muito tempo a proteína de ovo, embora em 2007 foram estabelecidos uns padrões estandardizados de necessidades de aminoácidos em função da idade, na tabela abaixo podemos comparar o padrão de referência mais exigente (para crianças de 2 anos) com os aminoácidos que proporciona a proteína de ovo:

Aminoácido Proteína de referência (mg/g) Proteína de ovo (mg/g)
Fenilalanina + tirosina 46 93
Histidina 18 24
Isoleucina 31 53
Leucina 63 86
Lisina 52 72
Metioina + cisteína 26 51
Treonina 27 44
Triptófano 7,4 13
Valina 42 68

Podemos observar que a proteína de ovo cobre e supera as necessidades nutricionais, inclusive para os perfis mais exigentes.

Benefícios da sua contribuição

A proteína de ovo tem um grande valor biológico que a faz ser altamente utilizável pelo organismo, além disso, proporciona todos os aminoácidos essenciais. O consumo habitual de proteína demonstrou influir positivamente na síntese de proteína após o exercício, sendo considerada como ideal para aqueles desportistas que querem manter ou desenvolver a sua massa muscular.

Também, a proteína de ovo é uma fonte concentrada de leucina, aminoácido chave para a manutenção e anabolismo muscular que também contribui para controlar a glicemia e parece ter um papel importante no controlo da saciedade.

A suplementação com proteínas de ovo se considera adequada tanto para desportistas que necessitem ganhar força e massa muscular, como para pessoas que querem manter a sua massa muscular.

Por último, cabe destacar que a proteína de ovo não contém apenas purinas, sendo assim, é uma fonte proteica ideal para pessoas com problemas para metabolizar estes nucleótidos, como podem ser as pessoas que sofrem de gota. Também supõe uma alternativa proteica de grande qualidade para aquelas pessoas com alergias e intolerâncias às proteínas ou açúcares lácteos.

Dosagem

As doses empregadas habitualmente são de 20 a 40 gramas e procuram completar as recomendações de proteínas de 1,2-2 g/kg/dia.

Precauções

O seu consumo deve ser evitado por pessoas com alergias à proteína de ovo, já que lhes pode causar problemas como urticária ou transtornos digestivos entre outros.

Também não é recomendável a suplementação com proteínas para as pessoas com doenças renais.

Sugerimos também