N, Wiki

Para que serve niacinamida? Benefícios e propriedades | NutriTienda

sexta, 1 de janeiro de 2010

A niacinamida ou nicotinamida, é a forma aminada da vitamina B3. Tem a fórmula molecular de (C6H6N2O) e a sua estrutura consiste num anel de pirimidina com um grupo amino situado em posição 3.

Encontra-se amplamente difundido pelos alimentos, tais como a levedura, carne, leite, ovos, vegetais verdes ou grãos de cereais. Também pode-se formar naturalmente no corpo através da niacina, além disso, a niacina pode ser produzida em pequenas quantidades no corpo a partir do aminoácido triptófano.

A niacinamida se absorve ao longo de todo o trato intestinal, é muito solúvel e rapidamente distribuída través da circulação sanguínea até chegar os tecidos, neles é utilizada como componente das coenzimas NAD, (Nicotinamida adenina dinucleótido)  e NADP (Nicotinamida adenina dinucleótido fosfato), também conhecidas como coenzima 1 e 2 respetivamente. Estas coenzimas são fundamentais para o correto funcionamento de diversas rotas metabólicas, são antioxidantes, intervêm em numerosas reações de óxido-redução, funcionando como transportadoras de hidrogénio, doando-os ou captándo-os conforme for necessários.

Uma das funções do NAD é atuar como cofator para as enzimas envolvidas na oxidação das gorduras e dos hidratos de carbono, (como a gliceraldeído 3 fosfato, lactato, piruvato e cetoglutarato desidrogenase), por tanto, a niacinamida é necessária para uma boa conservação da saúde célular e também para o ótimo funcionamento do metabolismo das gorduras e dos açúcares. Em relação a NADP, uma das suas principais funções é a de servir de doadora de hidrogénio na síntese de ácidos gordos ou esteróis.

A deficiência dietética de niacina ou triptófano pode provocar uma doença denominada Pelagra, a qual caracteriza-se por dermatite descamativa nas superfícies descobertas, perturbações digestivas e mentais, inflamação das membranas mucosas, tonturas, perda da memória ou depressão.

Benefícios da sua contribuição

Prevenção e tratamento da diabetes.

Alguns estudos sugerem que a niacinamida poderia ser utilizada, com resultados satisfatórios, para a prevenção e tratamento de personas pré-diabéticas e nas primeiras fases da diabetes. As pessoas que sofrem de diabetes mellitus e são insulino-dependentes, sofrem uma perda irreversível das células beta-pancreáticas.

A niacinamida é uma precursor de NAD, ajuda na sua regeneração e inibe a poli ADP-ribose polimerase (PARP), uma enzima que ao ser ativada transfere unidades de ADP ribose às proteínas nucleares e inicia a apoptose celular. Por tanto, a niacinamida ajuda a diminuir a formação de radicais livres, facilitando a regeneração das células beta-pancreáticas.

Efeito similar ao das benzodiacepinas.

A niacinamida também demonstrou estimular os recetores GABA criando um efeito similar ao produzido pelas benzodiacepinas.

As benzodiazepinas representam um grupo de medicamentos que se utilizam de forma terapêutica como ansiolíticos, hipnóticos, anticonvulsivos ou relaxantes musculares. Aparentemente interagem com um recetor específico do cérebro, caracterizado pela sua grande afinidade a este grupo de compostos. Alguns estudos postulam que a niacinamida poderia exercer, de forma fisiológica no cérebro, um efeito similar ao das benzodiacepinas.

Efeito contra a artrite.

Foi ditada a hipótese de que o stress oxidativo nas vias de transdução de sinalização celulares poderia jogar um papel importante no desenvolvimento da artrite, e que este stress poderia ser suprimido pela inibição da enzima poli ADP-ribose polimerase (PARP), a supressão desse stress acarrearia a redução do surgimento da artrite.

Radioterapia.

Alguns estudos clínicos aplicaram a niacinamida em radioterapia para debilitar tumores inoperáveis. Este benefício deve-se aparentemente ao aumento da irrigação sanguínea na zona do tumor. No entanto, as doses de nicotinamida devem ser muito elevadas e com frequência produzem náuseas, obrigando na maior parte dos casos a suspender o tratamento nestes pacientes.

Uso dermatológico.

A niacinamida tem sido utilizada também para o tratamento de diversas patologias dermatológicas, como erupções cutâneas, acne e outras afeções da pele.

Dosagem

A dose diária dieteticamente recomendada é de 20 mg ao dia.

Em pacientes diabéticos e pré-diabéticos, chegou-se a aplicar doses de 25 a 50mg/kg/dia (Uns 1,75-3,5 g/dia).

Precauções

Embora a informação acerca dos efeitos secundários seja um pouco confusa, devido à utilização de diferentes doses nos estudos realizados, o efeito que geralmente produz o subministro de doses elevadas de niacinamida são náuseas, outros efeitos secundários associados são vómitos, flatulência e diarreia.

Sugerimos também