N, Wiki

Para que serve naringin? Benefícios e propriedades | NutriTienda

sexta, 1 de janeiro de 2010

A naringina ou (4, 5, 7-trihidroxi-flavanona-7-ramnoglucósido), é um flavonóide, uma flavona glicosídica presente potencialmente nos cítricos.

Ela é extraída principalmente da casca dos cítricos, mas também se encontra, embora em pequenas quantidades, na polpa, suco, folhas, flores e sementes da planta.

É a substância que dá sabor amargo aos cítricos. A concentração de naringina depende do tipo de cítrico e dentro de cada variedade, depende da madureza do fruto, sendo mais abundante nas frutas não ainda maduras.

Os flavonóides, entre eles a naringina, são produtos naturais bioativos, utilizados amplamente como alimentos funcionais. Além disso, as frutas cítricas que contêm naringina costumam conter outros ingredientes como diferentes flavonóides, limonóides, e pectinas, com efeitos que protegem a saúde.

O cítrico com maior proporção de naringina é a toranja. Estas frutas, além de naringina contém também fibra e pectina que favorecem a redução dos níveis de colesterol no sangue e um ótimo trânsito intestinal. É fonte de ferro, cálcio, potássio, magnésio, alfa e beta caroteno, ácido fólico, vitamina B6 e licopeno.

Benefícios da sua contribuição

À naringina são atribuídas muitas propriedades saudáveis em relação à síndrome metabólica (SM). São numerosos os estudos que corroboram a interação entre a ingestão de naringina e a melhoria dos sintomas da SM.

A síndrome metabólica (SM) é uma afeção caracterizada por desordens metabólicas da insulina, tais como: glicose alterada, obesidade central e hipertensão. A SM tem sido relacionada com um maior risco de diabetes tipo 2 e de doenças cardiovasculares (ECV).

A naringina corrige transtornos metabólicos vinculados com a resistência à insulina, previne as hiperinsulinemias em resistentes à insulina e as dislipemias induzidas pela dieta: os efeitos metabólicos positivos da naringina foram observados inclusive em casos de dietas elevadas em gorduras e colesterol.

A naringina inibe potencialmente a proliferação e a secreção de lipoproteínas que contêm apolipoproteína B100 a hepatocitos cultivados ou inibe a secreção das lipoproteínas VLDL, melhorando assim as dislipemias ao reduzir o nível lipídico e o nível de colesterol, ou seja, diminui a aterosclerose e a pressão arterial média.

Em estudos pré-clínicos para diabetes tipo 2, a naringina demonstrou possuir propriedades similares a da insulina como a de reduzir lípidos, atenuar a resistência à insulina, a disfunção das células β, esteatóse hepática e o dano renal. Os estudos epidemiológicos reportaram uma relação inversa entre a ingestão de naringina e o risco de doenças cardiovasculares.

Os flavonóides cítricos jogam um papel importante na prevenção da proliferação da hiperglicemia, devido em grande medida à sua união ao amido, ao aumento da glicólise hepática, concentração de glicogénio, e também à redução da gliconeogénese hepática. Os flavonóides cítricos poderiam ser potencialmente utilizados para prevenir a hiperglicemia pós-prandial.

A insulina é amplamente conhecida devido ao seu papel regulador do metabolismo das gorduras, e como é obvio, na diabetes. Reduzir os níveis de insulina, poderia proteger as pessoas obesas de desenvolverem diabetes tipo 2, além de reduzir a sensação de fome e, portanto, ser um vínculo para a perda de peso.

O consumo de cítricos, como parte de uma dieta baixa em calorias pode ser uma estratégia para perder peso de forma eficaz para os adultos obesos. Observou-se que os indivíduos obesos que incluíram meia chávena de sumo de toranja 3 vezes ao dia antes das refeições principais, juntamente com uma dieta baixa em calorias, reduziram significativamente o seu IMC e o perímetro da sua cintura. Concluímos portanto que, o consumo de toranja natural ou do seu sumo, como parte de uma dieta de perda de peso, pode ser uma excelente estratégia, já que além de ser uma fruta baixa em calorias, o seu teor de naringina ajuda-lhe a ser um excelente redutor de gordura. Os indivíduos obesos que realizaram esta prática, apresentavam benefícios adicionais em comparação com os que não, tais como:

  • Aumento do colesterol HDL (colesterol bom): com os consequentes efeitos cardiovasculares benéficos.
  • Redução do apetite, ingerindo menos alimentos e reduzindo assim o consumo calórico e ajudando à perda de peso.
  • Aumento considerável dos níveis de vitamina C e de fibra, oferecendo esta segunda importantes benefício à saúde, especialmente para emagrecer.

Por outro lado, a naringina é também antioxidante e apresenta propriedades anti-inflamatórias, sendo evidente o seu efeito antiaterogénico.

Foram estudados os seus possíveis efeitos benéficos sobre os pacientes com fibrose pulmonar e também realizam-se estudos sobre diferentes substâncias que, em combinação com a naringina, parecem aumentar a ação da mesma, tais como:

  • O carboidrato inulina, mas segundo os estudos recentes, não proporciona nenhum benefício adicional no perfil de lípidos no sangue por causa da aplicação de uma dieta com extratos de flavonóides de toranja.
  • Também estuda-se a possibilidade da naringina interferir sobre a atividade das enzimas envolvidas na quebra de medicamentos ou outras substâncias como a cafeína no intestino, analisar se aumenta a concentração dos mesmos no sangue, e se for assim, se melhora a eficácia da substância ou fomenta a sua ação durante mais tempo. No caso da cafeína, aumentar a sua intensidade ou prolongar o seu efeito, agiria em benefício das dietas de emagrecimento e não só, também beneficiaria aos desportistas que necessitam de uma energia eficaz e duradoura. No entanto, investiga-se mais a fundo, já que os estudos realizados até o momento não demonstram resultados significativos.

Aplicações

A naringina é empregada como aromatizante em bebidas, guloseimas e produtos de panificação. A indústria de perfumaria também a tem empregado em vários produtos.

Devido às suas propriedades antioxidantes, estuda-se o seu emprego como estabilizador de óleos, antimutagénico e como precursor do composto naringina dihidrochalcona (poderoso edulcorante).

Dosagem

Não foram estimadas doses máximas para o consumo de naringina, visto que não se reportaram efeitos secundários com um consumo moderado.

Precauções

Unicamente em caso de overdose, é possível que se manifestem reações adversas sobre o intestino posterior.

Os cítricos, especialmente o sumo de toranja, contêm flavonóides incluído a naringina, mas também contêm substâncias não flavonóides que inibem a subfamília Cit3A4 do CitP450 no intestino delgado, aumentando os níveis séricos e melhorando a ação de diferentes medicamentos como por exemplo as estatinas (medicamos destinados à reduzir o colesterol).

Sugerimos também