M, Wiki

Para que serve o milho? Benefícios e propriedades | NutriTienda

sexta, 1 de janeiro de 2010

O milho (Zea mays) é um cereal originário da América que foi introduzido na Europa no século XVII e atualmente é o cereal com maior volume de produção a nível mundial, superando inclusive ao trigo e o arroz. Trata-se de uma planta anual, estival, com caules em forma de canas maciças em comparação com o resto dos membros das suas gramíneas, cujas canas são ocas. Nas denominadas maçarocas é onde se encontram as sementes ou grãos de milho, única parte do milho empregada na alimentação humana. Os grãos de milho são empregados para a elaboração de farinhas, maisena, óleo de milho, pode-se também cozinhar inteiro, consumir-se como cereal para o pequeno-almoço, pipoca…

Trata-se de uma espécie de gramínea com numerosas variedades:

  • Milho de farinha: como o seu próprio nome indica, é uma variedade destinada à elaboração de farinhas, tem um amido muito branco.
  • Milho dentado: caracteriza-se por apresentar um entalhe no grão.
  • Milho doce: utilizado habitualmente como verdura, normalmente comercializado em forma de conserva.
  • Milho de corteza dura: apresenta um grão muito duro e é típico da América.
  • Milho arrebentador ou corn: caracteriza-se pela capacidade explosiva da sua cobertura quando é exposto à um tratamento térmico. É o milho de pipoca.

Características nutricionais do milho.

O grão de milho tem diferentes partes e cada uma delas apresenta uma composição nutricional diferente.

  • O pericarpo ou cobertura caracteriza-se pelo seu alto teor de fibra, aproximadamente 87%, que por sua vez está formada fundamentalmente por hemicelulose (67%), celulose (23%) e lignina (0,1%).
  • O endosperma, ao contrário, contém um teor elevado de amido (87%), aproximadamente 8% de proteínas e um teor de gorduras cruas relativamente baixo.
  • O germe caracteriza-se pelo seu elevado teor de gorduras (33% da média) e contém também uma quantidade importante de proteínas (próximo ao 20%) e minerais.

A composição do milho varia de forma significativa se for analizado como grãos inteiros recém colhidos, secos ou cozidos:

Macronutrientes Milho amarelo Milho Amarelo Doce (cozido)
Kcal 365 83
Água 10.37 g 74 g
Carboidratos 74.26 g 18.69 g
Açúcares 0.64 g 3.15 g
Fibra 7.3 g 2.60 g
Proteínas 9.42 g 3.15 g
Gorduras 4.74 g 1.15 g

Além disso, o milho também contém minerais, nomeadamente o potássio, o fósforo e o magnésio e em grandes proporções, embora também em quantidades destacáveis o ferro e o zinco. Quanto ao seu teor de vitaminas, o milho apresenta um teor significativo de praticamente todas as vitaminas, exceto a vitamina B12. Destacam os folatos e apresenta também quantidades importantes das vitaminas B1, B2, B3, B6, vitamina C, vitamina A e vitamina E.

O milho, tal como o resto de cereais, é pobre em alguns aminoácidos essenciais como a lisina, o triptófano e a isoleucina, de modos que para completar a dieta, seria conveniente ingerir o milho junto com legumes, ricos em aminoácidos que faltam ao milho, e estes por sua vez deficientes em outros que o milho contém em quantidades suficientes.

Benefícios da sua contribuição

É uma boa fonte de energia, pois contém um alto teor de carboidratos, boas dosagens de proteínas, é rico em fibras, vitaminas do complexo B e vitamina C. Além disso, se o grão de milho for consumido junto com a capa de farelo consome-se também a fibra do cereal, contribuindo para manter a saúde digestiva e melhorando o trânsito intestinal, que por sua vez, foi relacionado com um menor risco de cancro de cólon. Também, graças ao seu teor de fibra o consumo do grão inteiro contribui para manter a saciedade, ajudando nas dietas de perda de peso e promovendo assim um metabolismo da glicose mais saudável.

Uma das vantagens principais do milho é que é um dos poucos cereais que não contém glúten, o que lhe permite ser consumido por pessoas celíacas. Devido a isso, o milho tem sido empregado na alimentação substituindo à farinha de trigo em numerosos produtos alimentares como o pão, biscoitos, para panar, sem esquecer o seu amplo emprego em produtos ricos em carboidratos destinados especialmente para desportistas, tanto intolerantes ao glúten como os que simplesmente querem carboidratos de outras fontes tão nutritivas como o milho.

Graças ao seu teor de fibra e folatos, o milho pode contribuir para manter a função cardiovascular, além de ser muito importante para as mulheres grávidas, já que previne os defeitos de nascimento. Também, de um carotenóide presente no milho (beta-cryptoxanthin) observou-se que pode diminuir o risco de contrair cancro de pulmão.

Graças ao seu teor de Vitamina B1, contribui para a produção de energia, ótimo funcionamento das células do cérebro, ajuda na síntese de acetilcolina que é um neurotransmissor essencial para a memória, já que a carência do mesmo foi relacionada com a perda de memória senil e com o Alzheimer.

O milho é uma boa fonte de ácido pantoténico, este é necessário para o metabolismo dos carboidratos, proteínas e lípidos. O ácido pantoténico também é indispensável em épocas de stress, já que apoia o funcionamento das glândulas adrenais.

Dosagem

O milho deve ser consumido dentro de uma dieta saudável, variada e equilibrada.

Sugerimos também