L, Wiki

Para que serve Lecitina? Benefícios e propriedades | NutriTienda

sexta, 1 de janeiro de 2010

A lecitina de soja é extraída do óleo de soja e está composta por fosfolípidos, principalmente fosfatidilcolina, fosfatidil etanolamina e fosfatidilinositol; combinadas com várias substâncias como triglicéridos, ácidos gordos e carboidratos.

As membranas de todas as células do corpo contêm fosfolípidos na sua estrutura. A lecitina é uma boa fonte destes compostos e contribui para estabilizar e suavizar as mesmas. Além disso, os fosfolípidos também são necessários para o transporte e metabolismo dos lípidos-colesterol, a neurotransmissão colinérgica e a sinalização de transmembrana.

A lecitina de soja se utiliza como estabilizador e emulsionante natural na indústria alimentar (principalmente em margarinas, chocolates e gelados), além das suas características também se utiliza amplamente em cosméticos e produtos farmacêuticos.

O processo de obtenção de lecitina de soja é o seguinte:

Mantém-se a soja a uma determinada temperatura e humidade durante uns dias para a hidratar. Depois, é prensada até formar flocos extraindo-se assim o óleo de soja por destilação. Posteriormente, extrai-se a lecitina separando o óleo por adição de água e centrifugação, ou precipitação a vapor.

A lecitina é parcialmente solúvel em água e também solúvel em ácidos gordos, devido a estas características, se utiliza como estabilizador e emulsionante em produtos onde a água e a gordura necessitam ser combinadas, evitando a sua separação física natural.

A consistência da lecitina de soja pode variar dependendo do conteúdo de ácidos gordos livres e da sua posse ou não de outros diluentes. A cor também pode variar de amarelo claro a castanho, dependendo dos cultivos ou se está esbranquiçada ou não.

O codex alimentarius reconhece o aditivo E-322, como lecitina, embora proceda normalmente da soja, o código E-322 também abrange a lecitina de origem animal.

Benefícios da sua contribuição

A lecitina de soja, devido ao seu alto teor de fosfolípidos, é capaz de reduzir o risco cardiovascular e diminuir os níveis altos de colesterol. Os fosfolípidos que proporciona a lecitina de soja partilham semelhança com os fosfolípidos das membranas biológicas e lipoproteínas sanguíneas, isto permite serem incluídas em seu lugar nas estruturas e reduzir o risco de alguns processos patológicos.

Estudos recentes sugerem que a suplementação de lecitina pode modificar os níveis de colesterol: diminui a quantidade de colesterol LDL (chamado colesterol mau) e aumenta a de HDL (colesterol bom), também diminui os níveis de triglicéridos no sangue. Esta modificação dos parâmetros lipídicos no sangue ajuda a prevenir a acumulação de colesterol nas veias e artérias, evitando assim a sua obstrução e como resultado, diminuindo o risco de sofrer acidentes cardiovasculares.

A lecitina de soja contribui para a função hepática e ajuda a digerir as gorduras, emulsionando-as e facilitando assim a sua absorção.

Alguns estudos mostram que a fosfaditilserina presente na lecitina, contribui para o funcionamento normal do cérebro e neurotransmissão. Por sua vez, a fosfatidilserina subministrada pela lecitina de soja poderia melhorar a memória e a capacidade cognitiva.

Por último, a lecitina também subministra vitaminas e minerais, este é o caso do fósforo e da vitamina E (com poder antioxidante).

Dosagem

A dose diária varia e normalmente vai dos 2.200 mg até os 4.800 mg/dia. Recomenda-se consumir com abundante água e repartir as doses em diferentes tomas durante as refeições.

Precauções

A lecitina de soja pode conter uma fração de proteína que pode produzir alergia, os processos realizados para extrair a lecitina, eliminam quase todas as proteínas, porém o seu potencial alérgico é baixo, comparado com o da soja.

Sugerimos também