L, Wiki

Para que serve lactase? Benefícios e propriedades | NutriTienda

sexta, 1 de janeiro de 2010

A lactase é uma enzima beta-galactosidase, hidrolisa a lactose no intestino delgado para que possa ser absorvida. A lactose é um dissacarídeo composto pelos monossacarídeos glicose e sacarose. A lactose é um componente natural do leite dos mamíferos. Os produtos lácteos geralmente mantêm o conteúdo de lactose, menos os fermentados.

A lactase está presente nas extremidades das vilosidades do intestino delgado. Existem muitas pessoas que com o tempo vão perdendo este teor de lactase até ocasionar o denominado hipolactasia, que é uma deficiência da enzima lactase. A deficiência de lactase é o que se conhece como intolerância à lactose. Nestes casos, a quantidade de lactose ingerida está em desequilíbrio com a quantidade de lactase do organismo, por tanto, o intestino é incapaz de descompor toda a lactose, e a não poder ser absorvida é utilizada pelas bactérias gerando ácidos orgânicos e hidrogénio. Os gases provocam flatulência, meteorismo e dor abdominal, e os ácidos gordos acidificam as deposições. A lactose atrai líquidos e eletrólitos ao intestino com a intenção de alcançar o equilíbrio osmótico, e pode produzir diarreia. Se a lactose alcança o cólon, esta é fermentada por algumas bactérias, produzindo assim mais fluidos no intestino e aumenta a diarreia.

A incidência da intolerância à lactose é mais notável numas populações que noutras, é muito mais frequente em populações asiáticas e africanas, onde apenas o 5% da população aproximadamente pode tolerá-la, já no norte da Europa a lactose é bem tolerada pelo 85% da população.

A deficiência de lactase pode ser congénita, primária ou secundária. A congénita é a deficiência mais rara, ocorre desde o nascimento e permanece durante toda a vida. Na primária é onde tem lugar uma diminuição progressiva da lactose na mucosa intestinal. A secundária sucede a pessoas que têm uma atividade enzimática normal mas os níveis diminuem por diversas causas, principalmente por doenças ou agressões da mucosa causadas por vírus ou quimioterapia.

Benefícios da sua contribuição

A lactase ajuda a digerir a lactose e por tanto reduz a flatulência, inchação, diarreia e outros sintomas associados ao défice de lactase nas pessoas com intolerância à lactose leve. Normalmente determinar a dose eficaz é muito difícil, sendo assim, é muito provável que a digestão da lactose não seja completamente realizada se ingerimos altos teores de lactose, de modo que não se aliviariam os sintomas completamente, por esta razão, recomenda-se as pessoas com intolerância à lactose consumi-la como complemento de uma dieta baixa em lactose.

Chegou-se a observar em vários estudos que adir enzimas solúveis ao leite algumas horas antes de o tomar, isto é, incubar o leite com enzimas, poderia ser uma estratégia efetiva para reduzir os gases e o mal-estar que sofrem algumas pessoas após a ingestão de leite.

Aplicações

A lactase tem sido utilizada pela indústria alimentar para fins tecnológicos, por exemplo para a elaboração de leites concentrados ou evaporados, pode ser empregada para evitar a sua cristalização, evitando assim uma textura grumosa e pouco desejável. Além disso, a lactase, produz a desintegração da lactose em glicose e galactose, dando-lhe um sabor mais doce sem aumentar o seu teor calórico.

Dosagem

A dose normalmente utilizada para a ingestão oral de lactase é de 6000-9000 IU, uns 15 minutos antes de tomar laticínios que contêm lactose. Também pode ser adicionada aos mesmos produtos.

Precauções

A enzima lactase, tem uma taxa muito baixa de efeitos secundários. Embora de forma muito rara pode ocasionar reações alérgicas em algumas pessoas, provocando tonturas, dores de cabeça ou problemas de respiração.

Sugerimos também