Diabetes: sintomas, tipos e tudo o que precisas saber.

quarta, 14 de novembro de 2018

Desde 1991, no dia 14 de Novembro se celebra a nível internacional o Dia Mundial do Diabetes. Por isso, na Nutritienda queremos aproximar-vos mais desta doença com um breve guia!

                                                  Resultado de imagem para dia mundial do diabetes

O que são os diabetes?

De forma geral, o diabetes é uma patologia no qual a glicémia (o nível de glicose no sangue) está mais elevada que o normal (<126mg/dl). Esta glicose resulta dos alimentos que ingerimos, e no nosso corpo, a encarregada de regulá-la é a insulina, uma hormona que se encarrega de “administrar” estas moléculas de glicose nos diferentes órgãos para fornercer-lhes energia.

Quando isso falla, é produzido o excesso de açúcar no sangue, aparecendo uma série de sintomas que conduzem num dos diferentes tipos de diabetes.

Então, existem vários tipos de diabetes?

Exatamente, apesar de que todos se caraterizam pelo mesmo traço (falha na metabolização da glicose) existem vários tipos de manifestações clínicas do diabetes.

Diabetes Tipo I: O próprio organismo ataca as células pancreáticas que produzem a insulina, anulando a sua produção. Por isso, os diabéticos tipo I devem injetar insulina regularmente. Costuma aparecer em idades precoces (antes dos 30), e com o seu devido tratamento podem ter uma vida relativamente normal.

Diabetes Tipo II: também conhecida como “Diabetes do adulto”, é uma patología associada à obesidade, ao sedentarismo e a uns hábitos de vida pouco saudáveis. Neste caso, o organismo produz insulina, mas os órgãos não são capazes de assimilar a glicose, ficando esta no sangue. Aparece a famosa “resistência à insulina“. Neste caso, o tratamento não depende da insulina, mas da melhoria de qualidade de vida do paciente (É recomendado a prática de exercício regularmente, hábitos alimentares saudáveis, deixar de fumar…).

Diabetes Gestacional: produz-se quando o feto já está formado e a gestação está muito avançada. O organismo da mãe não é capaz de produzir a quantidade necessária de insulina, e tão pouco é capaz de administrar a glicose aos órgãos para produzir energia, gerando-se uma situação de hiperglicémia. Além disso, os bebés nascidos nesta situação são mais suscetíveis a padecer diabetes tipo II e obesidade num futuro.

Diabetes Tipo I Diabetes Tipo II Diabetes Gestacional
– Insulinodependente (défice de insulina)

– Aparece em idades precoces

– Tratamento: insulina

– Não Insulinodependente (não há défice de insulina)

– Aparece em idades maduras

– Tratamento: farmacológico e correção de hábitos de vida

– Insulino e não insulinodependente

– Aparece na reta final da gravidez

– Tratamento: farmacológico e correção de hábitos de vida

Os sintomas mais comuns do diabetes:

Apesar de ser uma doença muito comúm, quase metade dos afetados não sabem que a padecem! Por isso, deixamos aqui um rápido e simples guia com os sintomas iniciais mais comuns: 

💡 Necessidade frequente de urinar e sensação de sede: também conhecido como poliuria. É um mecanismo de defesa do corpo para eliminar o excesso de glicose que permanece no sangue. A sede é um mecanismo compensatório para repor a perda de líquidos produzida pela urina. 

💡 Cansaço crónico: é especialmente típico do diabetes tipo II. Gerir esse excesso de açúcar no sangue implica a um gasto energético considerável:

💡 Perda de peso: neste caso é um traço característico do tipo I, e não está associado a nenhuma causa aparente.

💡 Sensação de formigueiro nas extremidades: o excesso de glicose pode causar danos nas terminações nervosas, produzindo-se as conhecidas “neuropatías periféricas”.

💡 Visão borrosa: é mais um sintoma do dano que a glicose pode chegar a produzir nos tecidos. Neste caso, deteriora o cristalino, dando origem ao “olho seco”, como se conhece.

Quanto antes seja diagnosticado, menores complicações terá a doença, por isso a Sociedade Espanhola de Diabtes (SED) desenvolveu um teste para estimar se és suscetível a padecer diabetes durante os próximos 10 anos baseando-se no teu estilo de vida.

Um estilo de vida saudável é a melhor ferramenta para prevenir o diabetes, especialmente o tipo II. Alimenta-te de forma equilibrada e faz desporto regularmente!

 

                          

Sugerimos também

Deixa um comentário