C, Wiki

Para que serve o cloreto de sódio? Benefícios e propriedades | NutriTienda

sexta, 1 de janeiro de 2010

O cloreto de sódio (NaCl), ou sal de cozinha é um composto iónico cristalino incolor, solúvel em água e muito ligeiramente solúvel em etanol. Está formado por um catião de sódio Na+ e um anião de cloreto Cl.

O cloreto de sódio reforça o sabor dos alimentos e tem a capacidade de variar a pressão de vapor da dissolução, isto é, aumenta o ponto de ebulição e diminui o ponto de congelamento em função da sua concentração.

O cloreto de sódio apresenta um elevado poder osmótico, desidratando vírus e bactérias não esporulados. Junto a organismos superiores, só alguns microorganismo denominados halófilos podem resistir à capacidade osmótica do sal, esta propriedade é utilizada para a conservação de alimentos e como antisséptico a nível local.

A obtenção de cloreto de sódio produz-se por evaporação da água do mar e de um mineral denominado sal de rocha ou halita.

O teor de sódio e cloro influi no equilíbrio hídrico corporal. O equilíbrio eletrolítico intervém também na contração muscular, posto que o sódio Na+ é um dos elementos envolvidos na geração e condução dos impulsos nervosos através da bomba de sódio/potássio. O sódio também mantém o volume ótimo de sangue no corpo graças à retenção de água.

Os componentes do cloreto de sódio são excretados com água através dos rins pela urina e o suor. Situações como vómitos, diarreia, transpiração excessiva ou o uso de diuréticos podem aumentar as necessidades eletrolíticas do corpo.

Importa referir que, o consumo racional de sal não é prejudicial, no entanto, geralmente a dieta convencional fornece mais do que a quantidade de sal necessária, sobretudo os alimentos processados, já que incluem estes ingredientes para serem mais apetecíveis.

Inclusive em alguns casos, quando as necessidades encontram-se altas, pode ser necessário subministrar quantidades extras de eletrólitos, nomeadamente o sódio e o cloro.

Resulta ser o caso de pessoas que realizam exercício físico com excesso de transpiração, como nos desportos de resistência. A duração do esforço e a presença de muita humidade ou calor intenso, aumentam a perdas de eletrólitos através do suor. Para estes casos aconselha-se consumir bebidas com eletrólitos para evitar a desidratação. A desidratação provoca fraqueza muscular, podem surgir tremuras, dificuldade de raciocínio, confusão mental, tonturas, náuseas, vómitos e até tensão arterial baixa. Além disso, pode gerar cãibras musculares durante os treinos intensos, sobretudo quando faz calor.

No lado oposto, estão as pessoas que consomem sal em excesso e nestes casos o que promovem é o aumento da pressão arterial e o risco cardiovascular.

Tanto o excesso de sal como a sua deficiência resultam desaconselháveis, por esta razão aconselha-se um consumo responsável e uma dieta rica em alimentos frescos e naturais. E nos casos necessários proporcionar os eletrólitos necessários para evitar a desidratação.

Desporto e Hidratação.

A falta de hidratação afeta à qualidade do treino e diminui o rendimento desportivo. Também pode aumentar os níveis de stress.

Se um atleta dá início à sua atividade física em estado de hipo-hidratação como consequência de uma recuperação incompleta, o risco de desidratação será muito elevado. O mesmo sucede na maioria dos desportos e atividades de resistência, onde a ingestão de líquidos não é proporcional às perdas eletrolíticas (de água e sais minerais) que se produzem através do suor.

Para manter uma hidratação adequada durante as atividades físicas ou desportos de resistência existem pautas a seguir:

  • Deve-se iniciar a atividade física em ótimo estado de hidratação.
  • Consumir bebidas com carboidratos e eletrólitos durante e depois da atividade física. Os hidratos de carbono proporcionam energia e junto ao sódio, favorecem a retenção de água.
  • Consumir líquidos durante o esforço desportivo evita a desidratação, reduz o risco de sofrer stress térmico, mantém o volume de sangue no corpo, permite uma boa frequência cardíaca, retarda a fatiga e previne de lesões associadas à desidratação e perda de suor.
  • Beber água em excesso, sem uma entrega de sais minerais, provoca um estado de hiper-hidratação que pode aumentar a excreção de sódio através da urina e causar um estado de hiponatremia. A hiponatremia pode supor um risco para a saúde, pois altera os mecanismos de regulação eletrolítica e de condução dos impulsos nervosos. Entre os sintomas mais comuns podemos referir: náuseas, vómitos, cãibras musculares, alterações visuais, cefaleia, letargia, chegando até às convulsões e coma. Considera-se que uma diminuição da concentração de sódio abaixo de 125 meq/L resulta fatal para o organismo humano.
  • Para favorecer a tolerância do intestino, aconselha-se beber durante os treinos para estar familiarizado no dia da competição.

Benefícios da sua contribuição

O objetivo do consumo de sódio e cloro através de cloreto é o de manter ou restabelecer o estado eletrolítico do corpo. ótimos níveis de sódio no corpo permitem o equilíbrio eletrolítico geral, facilitando assim as contrações musculares.

O consumo adequado de sódio durante as atividades físicas previne a desidratação e em consequência as cãibras musculares e a intermação, especialmente durante os treinos intensos e prolongados ou em climas quentes e húmidos. Uma das formas mais convenientes de proporcionar sais minerais durante os exercícios físicos é em forma de bebida desportiva.

Dosagem

A Organização Mundial da Saúde recomenda um consumo de mínimo de sódio de 500 mg/ dia e máximo de 2000 mg/dia. O cloreto de sódio contém 40% do seu peso em sódio. Uma colherinha de sal de cozinha de 5 gramas proporciona os 2000 mg de sódio.

As pessoas que sofrem de hipertensão arterial devem consumir menos de 1,500 mg/dia. As pessoas que padecem de insuficiência cardíaca congestiva, cirrose hepática ou nefropatia devem limitar mais ainda o seu consumo.

A dose recomendada pela UE, a efeitos de rotulagem dos alimentos, é de 0.6 g/dia, sendo recomendado não ultrapassar os 6 g dia de cloreto de sódio ou seus equivalentes: 2,4 g/dia de sódio.

O potássio e o sódio agem em combinação para regular a água no corpo. A proporção ideal é de 2:1 potássio : sódio. O sódio pode aumentar a absorção de magnésio.

Outra informação

A ACSM (American College of Sports Medicina) publicou umas recomendações gerais sobre a quantidade e a composição do líquido que deve ser ingerido durante o exercício ou competição desportiva:

  1. Durante as 24 horas prévias a um evento desportivo, recomenda-se realizar uma dieta equilibrada e beber suficientes líquidos, para promover uma boa hidratação; especialmente durante a refeição prévia ao exercício.

  2. Recomenda-se beber aproximadamente 500 ml de líquidos 2 horas antes do início da atividade para promover uma hidratação adequada e dar tempo à excreção do excesso de água ingerida.

  3. Durante o início do exercício, os atletas devem começar já a beber e em intervalos regulares, com o fim de consumir fluidos a uma velocidade suficiente para repor a totalidade da água que se vai perdendo através do suor.

  4. A temperatura recomendada para os líquidos ingeridos é 15? – 22? grados. Se for possível com sabor para melhorar o paladar e facilitar a sua ingestão.  

  5. Também recomenda-se adicionar a quantidades adequadas de hidratos de carbono e/ou eletrólitos às bebidas para os exercícios de duração superior a uma hora. Em exercícios inferiores a uma hora de duração, não se manifestaram grandes diferenças no rendimento entre o consumo de uma bebida com carboidratos e eletrólitos e apenas água.

  6. Durante o exercício intenso superiores a uma hora, recomenda-se que os carboidratos sejam ingeridos a uma velocidade de 30-60 gramas/h para manter a entrega energética e retardar o surgimento da fatiga. Aconselha-se consumir estes carboidratos dissolvidos em água com uma concentração entre 4-6%. A taxa de líquido equivaleria a uns 600-1200 ml/hora. Os carboidratos podem ser açúcares (glicose ou sacarose) ou amido, maltodextrina por exemplo.

  7. Recomenda-se incluir de 0,5 a 0,7 g/l de sódio às bebidas consumidas durante as atividades de mais de uma hora de duração, pois melhora o paladar, favorece a retenção de líquidos e provavelmente, previna o surgimento da hiponatremia.

Sugerimos também