C, Wiki

Para que serve quitosana? Benefícios e propriedades | NutriTienda

sexta, 1 de janeiro de 2010

O quitosano é um polímero natural que se obtém principalmente por uma n-desacetilação da quitina. É um polissacárido linear disposto de forma aleatória composto por cadeias de D-glucosamina e N-acetilglucosamina, unidas mediante ligações β-(1-4).

A quitina é extraída de conchas e dos exosqueleto dos crustáceos sobretudo dos camarões, caranguejos e lagostas; e também está presente em pequena quantidade em alguns fungos e leveduras. No entanto, o quitosano só se encontra de forma natural em um grupo reduzido de fungos, por este motivo, a origem principal do quitosano que se comercializa tem sido obtido a partir da desacetilação da quitina.

O quitosano é um composto biodegradável e tem um campo amplo de aplicações em diferentes áreas como é indústria alimentar, agrícola, biotecnologica, medicina e no tratamento da águas. Entre todas elas destacamos o seu uso como ingrediente nos suplementos de perda de peso, que atua captando as gorduras e impedindo a sua absorção.

A molécula de quitosano é uma fibra dietética de origem não vegetal, não pode ser absorvida nem digerida porque não pode ser hidrolisada pelas enzimas digestivas do corpo humano. No entanto, em comparação com outros tipos de fibra, contém na sua estrutura grupos amino que lhe dão um carácter básico, e ao entrar em contacto com o pH ácido do estômago produz-se uma solubilização parcial da molécula de quitosano que dá lugar a um gel carregado com carga positiva. Este gel pode captar moléculas com carga negativas como os lípidos, incluindo-as na sua estrutura. Estes géis também podem captar vitaminas lipossolúveis e minerais.

Importa referir, que o ácido ascórbico (vitamina C) melhora a formação do gel de quitosano. Crê-se que devido a redução da viscosidade do gel que lhe dá maior elasticidade, então o gel ganha maior capacidade para reter as gorduras.

Benefícios da sua contribuição

Sobrepeso e obesidade.

O quitosano demonstrou ter um poder natural que previne a obesidade. A obesidade está associada com patologias como a diabetes tipo 2, hipertensão ou doenças cardiovasculares.

A molécula de quitosano forma um gel que captura as gorduras impedindo assim a sua absorção que posteriormente é excretada pelas fezes. Deste modo, impede a emulsificação e absorção das gorduras, reduz-se a quantidade de calorias que ingerimos com os alimentos contribuindo para a perda de peso ou controlo do peso corporal.

Colesterol.

O colesterol, pese a ser fundamental para o corpo humano, em elevadas concentrações pode ser prejudicial para a saúde cardiovascular. Vários estudos, tanto em seres humanos como em animais como o rato, sugerem que a suplementação com quitosano diminui os níveis de absorção de colesterol, diminuindo assim a quantidade de colesterol no plasma sanguíneo. De facto, o quitosano conta com o consentimento da Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar para indicar que o consumo de 3 gramas ao dia de quitosano contribui para manter níveis ótimos de colesterol.

Também existem estudos que sugerem que o quitosano incorporado a alguns alimentos poderia melhorar o equilíbrio de colesterol no sangue, concretamente um estudo, que consiste em incorporar um 2% de quitosano na fórmula do pão, observando-se resultados no aumento do colesterol HDL e diminuindo o LDL (também chamado colesterol mau). Na atualidade é um campo ainda continua em investigação.

Sistema digestivo e trânsito intestinal.

O quitosano é uma fibra dietética, por tanto não é digerido nem absorvido pelo corpo humano. No intestino atua como humectante, amolecendo o bolo alimentar, aumentando o tamanho das fezes e facilitando a sua expulsão. Isto favorece o trânsito intestinal, combatendo assim a prisão de ventre. Além disso, o trânsito regular protege o organismo contra alguns tipos de cancro, como o de cólon.

Sistema urinário.

O polímero de gel poderia ligar substâncias tóxicas e evitar a sua absorção, resultando benéfico para as pessoas com insuficiência renal crónica. Em alguns estudos de 12 semanas de suplementação com quitosano, observaram-se melhoria após o seu consumo. Por exemplo, o fosfato sérico foi relacionado com efeitos adversos quando existe insuficiência renal, alguns estudos demonstram que as gomas para mascar que contêm quitosano podem reduzir o fosfato sérico de forma considerável, mascando 20 mg de goma com quitosano duas vezes ao dia durante mais de 4 semanas reduziram-se os níveis de 0,05 a 0,065 mmol/L.

Outros benefícios.

Também tem propriedades anticoagulantes, efeito antibacteriano e antifúngico (demonstrado principalmente em casos de candidíase), assim como promotor da cicatrização de feridas, por estimulação da reepitelização e formação de tecido de granulação.

Dosagem

A dose normal mais aplicada de quitosano é de 3-6 g por dia. Dividida em três cápsulas antes das refeições principais. Conforme o EFSA o consumo mínimo para poder obter benefícios é de 3 gramas ao dia.

Precauções

Embora seja considerada como um suplemento seguro e não tóxico, em algumas ocasiões observaram-se alguns efeitos gastrointestinais como dor abdominal, flatulências, distensão e náuseas.

Os géis que se formam no trato intestinal estimulam levemente a síndrome de má absorção agravando os síntomas. Não é aconselhável para pessoas que sofrem esta síndrome e nem para as que sofrem esteatorreia.

Também devemos ter em conta que reduz a absorção de algumas vitaminas lipossolúveis (D, E, A, K) e minerais como o selénio ou o magnésio. A redução da absorção de vitamina D pode diminuir por sua vez a absorção de cálcio. Para evitar deficiências quando se toma quitosano é recomendável tomar suplementos de vitaminas e minerais.

Por último, o seu uso não é recomendável para mulheres grávidas, já que pode diminuir a absorção de vitamina D e como consequência também de cálcio. De forma preventiva, desaconselha-se também às crianças, já que se observou certo atraso no crescimento em animais suplementados com quitosano.

Sugerimos também